Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para busca 3 Ir para rodapé 4
Acessibilidade 5 Alto contraste 6

Câmara busca ampliar proteção de Antigranizo

Publicado em 16/10/2019 às 13:38 - Atualizado em 16/10/2019 às 13:38

Jean Ribeiro durante espaço do Palavra Livre, na Câmara Municipal
Créditos: ASCOM/CMC Baixar Imagem

                A eficiência na proteção da agricultura de Caçador e região, via Sistema Antigranizo, foi tema abordado durante espaço da Palavra Livre. O assunto foi abordado por Jean Ribeiro, secretário adjunto de Desenvolvimento Econômico na reunião dessa terça-feira (15), na Câmara Municipal de Caçador. O convite foi feito pelo vereador Neri Vezaro (MDB), devido a suspensão do recurso no valor de R$ 1.269.000,00 repassado pelo Governo do Estado, anunciada dia 7 de outubro.

                “Viemos a pedido do vereador Neri para explanar a real situação, e informamos sobre o parecer final da Casa Civil informando que o Governo do Estado não vai mais custear a parte dele no convênio. Portanto, pleiteamos para toda a região o valor de R$ 1.269.000,00 para manutenção dos 50 geradores custeados pelo Estado. E aproveitamos para tranquilizar a comunidade caçadorense que os geradores no município estão funcionando”, explica Jean Ribeiro junto a presença de João Walter Rolim, presidente da Associação de Fruticultores de Fraiburgo.

                Conforme o vereador Neri Vezaro (MDB), o Projeto Antigranizo foi implantado em 1997 pelos agricultores da comunidade do Rio Bugre que sustentavam a ação. “E aos poucos foi ganhando corpo e a prefeitura apoio a iniciativa e mais tarde o Estado assumiu e ampliou para toda a região. No entanto, desde 2018 o Estado não está fazendo a sua parte, e por isso foi oportuno trazer aqui que tem conhecimento na área para que a gente continue a buscar esses recursos pelo Estado e que o Governo mantenha como prioridade esse sistema em nossa região, garantindo a agricultura e toda a parte urbana. Então sugerimos uma mobilização com as nossas forças vivas para sensibilizar as nossas autoridades para que voltem a investir nesse sistema, que já é de conhecimento de todos que é eficaz. Essa é uma reivindicação da comunidade de toda a região”, ressalta.

                De acordo com o presidente da Câmara Municipal, Alcedir Ferlin (MDB), ressaltou as sugestões dos vereadores relacionadas à criação de uma moção de repúdio destinada ao Governo do Estado e a mobilização com instituições locais para garantir. “Para o município arcar com esses custos é difícil e estamos preocupados com a possibilidade de alguma chuva de pedras, e o Governo do Estado não pode ser omisso, tem a obrigação de ajudar, e não pensar apenas em economia de recursos. Por isso, essa Casa vai encaminhar o documento para que a ajuda seja mantida garantindo a continuidade dessa proteção sem deixar o agricultor à deriva”, completa.     

 

MARCOS ANTONIO TEBALDI

Ricardo apresenta nota de pesar

Durante a reunião o vereador Ricardo Barbosa (PSDB) comentou o falecimento de Marco Antonio Tebaldi, Presidente Estadual do PSDB de Santa Catarina. Marco Antônio Tebaldi foi um engenheiro e político brasileiro, filiado ao Partido da Social Democracia Brasileira - PSDB. Nasceu em 31 de janeiro de 1958, no distrito de Campo-Erê, em Erechim, Rio Grande do Sul. Formou-se em Engenharia Sanitária e Ambiental pela UFSC. Em 1986 se estabeleceu em Joinville para coordenar o Núcleo de Bacias Hidrográficas, quando criou o Projeto Mangue, destaque na Eco-92. Em 1992 foi eleito vereador, assumiu a Secretaria de Habitação, foi eleito vice-prefeito, depois prefeito, deputado federal, e também exerceu o cargo de Secretário de Estado da Educação em 2011.

“Para o Estado, enquanto deputado, destinou mais de R$ 188 milhões para municípios através de emendas parlamentares ao Orçamento Geral da União, valores aplicados em infraestrutura, agricultura, turismo, assistência social, saúde, hospitais filantrópicos, transporte escolar entre outras áreas. Contribuiu com a qualidade de vida da comunidade caçadorense na área da Saúde, destinando recursos no valor de R$ 1 milhão, inclusive, pagos nesse ano: sendo R$ 500 mil para o Hospital Maicé e, R$ 500 mil para a Prefeitura. A morte de Tebaldi deixa uma lacuna imensa na história, pela sua dedicação e empenho para dar o melhor às pessoas através da atuação política em nosso Estado”, elucida Ricardo.

 


Galeria

  • {{galeriaImagens.length + galeriaVideos.length - 12}}
  • {{galeriaMultimidia.length + galeriaImagens.length + galeriaVideos.length - 12}}
Fechar